"Mas ainda em meio dessas sarças de fogo”, dizia Manuel Bandeira de forma irônica a propósito da produção de Olavo Bilac, “aparecia uma ou outra flor de mais fina poesia, como o soneto ‘Nel me - zzo del camin...’, digno de figurar entre os mais perfeitos da nossa língua.” O Olavo Bilac aquele que cantou: “Cheguei. Chegaste. Vinhas fatigada/ E triste, e triste e fatigado eu vinha.” Um Bilac objeto de admiração e que paira como um dos esteios literários deste poeta que aqui reúne pela primeira vez seus poemas em livro (apesar de uma vida de dedicação à escrita e à leitura e nenhuma preocupação em publicar). Mas termina aí sua afinidade por assim dizer anímica com o sonetista parnasiano do século 19. Como bem define o próprio José Eduardo Mendonça, “Eu não quero fazer versos/ com imagens encarquilhadas de redondilhas exa - tas./ Eu também quero a poesia feita do fluxo,/ eu quero a naturalidade de tudo que pulsa”

 

 

Curva extrema - José Eduardo Mendonça

R$53.00Preço

    Nossos livros