Otávio Machado faz parte de uma família de poetas para quem a palavra é respiração; por isso, movimento e repouso, ritmo e quietude que nos toca, contagia, e nos impele à apreensão do ritmo original do mundo e à sua respiração essencial. Os poemas reunidos neste Longe do Fim sintetizam uma poesia predominantemente cósmica no sentido de que assemelha-se a um hino multiforme à natureza e às forças universais, ultrapassando todas as convenções que enquadram a realidade em limites definidos. Aqui não é o choque diante do cosmos que está em primeiro plano. Não,o poeta usa da palavra para realizar a possibilidade de integração e harmonia cósmicas quando alarga os seus limites incessantemente, descentrando-se para se conhecer; autocentrando-se, para conhecer o mundo. E, na senda de Heidegger (e em certa medida também Teillard de Chardin),defende que,se o homem ama as palavras,é porque ama o corpo uno e plural do ser,na sua nudez e no seu esplendor.Indícios...

 

(...)
o tempo são estrelas

guardiãs do cosmos

alcançando distâncias:

no fundo da manhã

náufragos sôfregos

resgatam os instantes

cuidando das almas

aos ventos que dobram

renovando as estações.

 

aprendeste a ler
e n t r e l i n ha s
o todo inconfundível

o rosto sem rosto
no século da sina
na noite dos sonhos

na verdade sem som

o cheiro da vida
é a certeza do tempo.

 

aprendeste a estar iluminada

unificando espera e espaço na

minha existência sobre a tua.

[Poema “Estrelas”]

 

Por Krishnamurti Góes dos Anjos

Longe do Fim

R$30.00Preço

    Nossos livros

    • Facebook Social Icon
    • Instagram ícone social
    • Twitter Social Icon
    • Google+ Social Icon
    • SoundCloud Social Icon

    Contato

     

    © 2016 Laranja Original